Um Olhar Sobre a Mente Através dos Filmes

Hoje celebra-se o Dia Mundial do Cinema.

O fim do século XIX e o início do século XX foram épocas de grande importância tanto para o Cinema como para a Psicologia. Com a criação do cinema pelos irmãos Lumière em 1895, desde o cinema mudo vencendo barreiras linguísticas e com o primeiro filme falado em 1927, foi rápida a expansão do cinema pelo mundo.

E porque a arte e a ciência influenciam-se reciprocamente, facilmente reconhece-se que as produções cinematográficas também influenciam as pessoas, proporcionam momentos de sensibilização, difusão da cultura e propagação do conhecimento.

Um dos pontos mais comuns entre o cinema e a psicologia trata a conceção do ser humano que ambos difundem e se interessam pelo comportamento normativo e pelos desvios da normalidade. E se os problemas psicológicos servem de inspiração para dramas e enredos cinematográficos, também os filmes e os atores são objeto de estudo para a psicologia e até podem abrir caminho a novas investigações.  

O cinema convida à reflexão sobre o imaginário da realidade e simultaneamente sobre a realidade do imaginário. O cinema tem a capacidade de facilitar subjetividade através do enredo, das personagens e da intensidade dos estímulos envolventes, potenciando um efeito catártico no espectador despertando emoções, sentimentos, memórias, perceções, sensibilidades e novos significados.

A ficção audiovisual ocupa um papel muito relevante nas representações individuais e coletivas e está cada vez mais atenta aos problemas de saúde mental. Podendo entender-se até como um recurso de análise, oferece-se como ponto de partida para reflexões e debates ajudando a desmistificar crenças e diminuir os preconceitos sobre as doenças mentais. 

Nas últimas décadas a cultura cinematográfica tem particularmente diminuído o viés informativo e vem abrindo novas perspetivas e novos olhares sobre os problemas de saúde mental e possibilidades terapêuticas. Através das narrativas contextualizam os transtornos mentais permitindo compreender muitas das suas características e manifestações e têm o poder de sensibilizar a opinião pública para a necessidade de refletir compreensivamente sobre a importância da saúde mental e os distúrbios mentais, a humanização nos cuidados, o respeito e tolerância que são devidos a pessoas com problemas de saúde mental e o acesso a tratamentos dignos.  

Porque é o Dia Mundial do Cinema e porque todos os dias são de Saúde Mental, deixamos algumas recomendações de filmes que ilustram transtornos mentais para os amigos cinéfilos ou simplesmente para quem aprecia um bom filme.

Sobre a…

Incapacidade intelectual: “Forrest Gump (1994); “O Contador de Histórias (2009)”; “Uma Lição de Amor (2001)”; “O Menino Selvagem (1970)”;

Perturbação da Comunicação: “O Discurso do Rei (2010)”;

Perturbações do Espectro do Autismo: “Tudo o que Quero (2017)”; “Rain Man (1988)”; ´”Temple Grandin (2010)”; “Adam (2009)”; “Nell (1994)”;

Perturbação de Hiperatividade/Défice de Atenção: “O Som do Coração (2007)”; “O Meu Malvado Favorito (2010)”; “Impulsividade (2005)”;

Perturbação de Tourette: “O Primeiro da Classe (2008)”; “A Estrada Interior (2014)”; “No País das Maravilhas (2008)”

Perturbações do Espectro da Esquizofrenia: “Uma Mente Brilhante (2001)”; “A Cela (2000)”; “Spider: Desafie a sua Mente (2002)”; “Nise: O Coração da Loucura (2015)”; “O Solista (2009)”; “Despertares (1990)”;

Perturbação Bipolar: “Mr Jones (1993)”; “Tocados pelo Fogo (2015)”; “Por Lugares Incríveis (2020)”;

Perturbação Depressiva: “As Faces de Helen (2009)”; “Pequena Miss Sunshine (2006)”; “Melancolia (2011)”; “As vantagens de ser invisível, (2012)”;

Perturbação de Pânico: “Alguém tem que Ceder (2003)”; “ A Mulher à Janela (2021)”; “Uma Questão de Nervos (1999)”;

Perturbação da Ansiedade: “Inadaptado (2002)”; “Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (1977)”;

Perturbações do Sono: “Insónia (2002)”; “Donnie Darko (2001)”; “Clube de Combate (1999); “A Origem (2010)”;

Perturbação Obsessiva-Compulsiva: “Melhor é Impossível (1997)”; “Simplesmente Genial (1996)”;

Perturbação de Stress Pós-Traumático: “Nascido em 4 de julho (1989)”; “Fantasmas da Guerra (1989)”; “Sniper Americano (2014)”;

Perturbações da Alimentação e da Ingestão: “Cisne Negro (2010)”; “Maus Hábitos (2007)”; “O Mínimo para Viver (2017)”;

Transtorno Hiponcondríaco: “Supercondriaco (2014)”; “Hannah e suas Irmãs (1986)”;

Perturbações relacionadas com o Álcool: “Despedida em Las Vegas (1995)”; “Diário de um Jornalista Bêbado (2012)”; “O Caminho de Volta (2020); “Um Novo Caminho (2010);

Perturbações relacionadas com Cocaína, Opiácios, Estimulantes: “Meu nome não é Johnny (2008)”; “Christiane F. (1981); “Trainspotting (1996); “Delírio em Las Vegas (1998); “Querido Menino (2018)”; “Grito de Revolta (1995); “A Vida não é um Sonho (2000)”;

Perturbação da Personalidade Borderline: “Garota, Interrompida (1999)”; “Atração Fatal (1987)”; “Borderline (2008)”; “Geração Prozac (2001)”; “Sete Dias com Marilyn (2011)”;

Perturbação Antissocial da Personalidade: “Psicopata Americano (2000)”; “Prenda-me se For Capaz (2003)”; “Monster (2003)”; “Seven, Os Sete Crimes Capitais (1995)”; “Perfume, a História de um Assassino (2006)“; “O Silêncio dos Inocentes (1991)”; “Cabo do Medo (1991)”; “Joker (2019);

Perturbação do Comportamento: “O Bom Filho (1993)”; “Kids (1995)”;

Perturbação Paranóide da Personalidade: “A conversação (1974)”; “A Ilha do Medo (2010)”;

Perturbação da Personalidade Obsessiva-Compulsiva: “O Aviador (2004)”; “Melhor é impossível (1997)”; “Mais Estranho que a Ficção (2006)”;

Perturbação Dissociativa da Identidade: “Fragmentado (2016)”; “Identidade (2003)”; “a Janela Secreta (2004)”; “Eu, Eu Mesmo e Irene (2000)”; “A Raíz do Medo (1996)”; “Sybil (2019)”; “Frankie e Alice (2010)”; “Amigo Oculto (2005)”; “Clube de Combate (1999)”;

Perturbações Parafílicas: “Desejos, o Amor Faz-se (2016)”; “Um drink no inferno (1996)”; “Amor e outras drogas (2010)”; “De olhos bem fechados (1999)”; “Cinquenta Sombras de Grey (2015)”;

Perturbação Neurocognitiva devida a Doença de Alzheimer: “Antes que eu me Esqueça (2017)”; “Uma Separação (2011)”; “O Pai (2020)”; “Para sempre Alice (2014)”; “Amor (2012)”;

E para os mais pequenos também recomendamos alguns filmes que abordam problemas e temáticas no domínio da saúde mental:

“Divertidamente (2015)”; “Ursinho Pooh (2011)”; “À Procura de Nemo (2003)”; “Brave, Indomável (2012)”; “Cada Um em Sua Casa (2015)”; “O Livro da Vida (2014)”; “Jack e a Mecânica do Coração (2013)”; “Coco (2017)”; “Dumbo (2019)”;  

Para ver sozinho, reunir em família ou com amigos, divertir ou refletir, tendo sempre em consideração a idade recomendada para cada filme, desejamos boas sessões de cinema e ótimos insights.

 

#diamundialdocinema #cinema #saudemental #mentalhealth #mentalmente #psicologia #setimaarte #psiquiatria #psicoterapia #problemasmentais #depressão #ansiedade #personalidade #psicopatologia

Um Olhar Sobre a Mente Através dos Filmes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.